quinta-feira, 16 de maio de 2013

As bibliotecas de Valter Hugo Mãe


    "As bibliotecas são como aeroportos. São lugares de viagem. Entramos numa biblioteca como quem está a ponto de partir. (...) O sossego das bibliotecas é a ingenuidade dos incautos. Porque elas são como festas ou batalhas contínuas e soam trombetas a cada instante e há sempre quem discuta com fervor o futuro(...)
     Já vi gente a sair de dentro dos livros. Gente atarefada até com mudar o mundo. Saem das palavras e vestem-se à pressa com roupas diversas e vão porta fora explicar descobertas importantes. (...) O trabalho que temos pela escola dos livros é normalmente um modo de ficarmos felizes (...) Ler é esperar por melhor."

                 Valter Hugo Mãe, "As bibliotecas". JL,15 de maio de 2013

 




Nenhum comentário:

Postar um comentário