terça-feira, 14 de junho de 2011

PLANTAR ESTORNO PARA SOBREVIVERES

Durante este ano lectivo, os alunos do 5º ano da Escola Básica de Vila Praia de Âncora participaram no projecto “ Conservação e Reconversão dos Sistemas Dunares”, dinamizado pelo FAPAS, com o apoio da Câmara Municipal de Caminha.
Esta participação decorreu em dois momentos distintos. No dia 24 de Fevereiro, os alunos do 5ºA, 5ºC e 5ºE deslocaram-se até as Dunas do Caldeirão para arrancar chorão e plantar estorno. Os alunos foram orientados pela Dra. Lucília Guedes, técnica do FAPAS, que lhes explicou a importância das dunas na protecção da nossa costa e o papel do estorno na preservação do ecossistema dunar.
Os alunos foram divididos em dois grupos. O primeiro grupo formado pelos alunos do 5ºA e o 5ºC arrancou pés de chorão porque essa planta invasiva e infestante destrói as dunas. Com as suas raízes pequenas e o seu consumo excessivo de água, o chorão impede as plantas nativas como o estorno de se desenvolver.
O outro grupo plantou cerca de cento e oitenta pés de estorno. Os alunos ficaram a saber que o estorno tem um papel muito importante na formação das dunas. Graças às suas folhas e às suas raízes compridas, esta planta autóctone ajuda a fixar a areia e assim, a formar e preservar as dunas.
No dia 8 de Junho, os alunos do 5ºE e 5ºC deslocaram-se novamente às Dunas do Caldeirão para realizar um trabalho de observação e investigação da fauna e flora dos sistemas dunares e, também, para efectuar a monitorização da plantação do estorno, sob a orientação de duas professoras de Ciências da Natureza, a professora Ana Cristina Paula e a professora Antonieta Machado.
Os alunos observaram diversos animais tais como: formigas, gafanhotos, caracóis e gaivotas. Também reconheceram várias plantas autóctones como: estorno, rabo-de-coelho, perpétua-das-areias, cordeiros-da-praia, sapinhos-da-praia, goivinhos-da-praia, lírio-das-areias e cardo marítimo. Estas plantas são indispensáveis à preservação do ecossistema dunar.
Para o trabalho de investigação, as professoras de Ciências da Natureza delimitaram, na duna, uma área com cerca de um metro quadrado. Nessa área, os alunos procuraram e removeram vestígios de conchas de caracóis, sementes e folhas secas de cardo e de perpétua, para serem analisados no laboratório da escola.

Por fim, os alunos concluíram o trabalho com a monitorização da plantação do estorno. Infelizmente, verificaram que muitos pés de estorno plantado estavam pisados e arrancados. Chegaram à conclusão que as pessoas continuam a ser pouco amigas do ambiente. Sugeriram a colocação de um placar com informações sobre a importância das dunas e do estorno. Os alunos sentiram a necessidade de avisar com urgência as pessoas porque sem as dunas, o mar avança e destrói campos, caminhos e até casas! E também porque se conserva a biodiversidade. Por isso, os alunos aconselham: é urgente cuidar do estorno e preservar as dunas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário