sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Boas Festas...

e boas leituras!

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Grandes Leitores

Esta semana, deu-se início ao projeto “Grandes Leitores”, no âmbito da promoção da leitura. Esse projeto tem por objetivos de valorizar os livros e a leitura e incluir partilhas de leituras que envolvam alunos de vários ciclos de ensino.
Duas “grandes leitoras” do 3.º ciclo, Gabriela A. e Maria M., estriaram-se e apresentaram oralmente e em suporte digital, aos seus colegas do sexto ano e aos respetivos professores das turmas envolvidas (professoras de Português, de Ciências Naturais e de História), a obra O Grande Gigante Gentil de Roald Dahl, escritor galardoado com vários prémios literários de renome, e Flora e Ulisses de Kate DiCamillo, autora de inúmeros livros igualmente premiados para jovens leitores.
Cada apresentação foi cuidadosamente realizada a partir de pesquisa, recolha e tratamento de informações sobre os autores, ilustradores e publicações, com o apoio da professora Paula Castro. A Gabriela e a Maria justificaram as suas escolhas de leitura nos exercícios de crítica literária. As “grandes leitoras”, nas suas apreciações críticas, destacaram a originalidade das obras, os problemas bem atuais que os protagonistas enfrentam, os valores e  os princípios e sublinharam o humor que percorre as duas narrativas, despertando assim grande interesse e motivação para a leitura das duas obras.
Os alunos do sexto ano seguiram com muita atenção esta partilha de leituras e entusiasmaram-se pelos livros apresentados. No final, colocaram algumas questões e fizeram também comentários sobre os autores, que muitos já conheciam das adaptações cinematográficas de Charlie e a Fábrica de Chocolate e de A Lenda de Desperaux. Outros alunos relataram as suas experiências de leitura de outras obras de Kate DiCamillo, nomeadamente Por Causa de Winn-Dixie e A Odisseia de Edward Tulane.
Todos deram os parabéns à Gabriela e à Maria pela qualidade das suas apresentações!

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Feira do Livro 2017


A Biblioteca Escolar, em parceria com a livraria Bertrand, organizou durante a segunda semana de dezembro a Feira do Livro de Natal 2017, para promover a leitura como suporte fundamental ao conhecimento e à cultura.
Foram muitos os visitantes que animaram esta feira. As crianças do Jardim de VPÂ, os alunos da EB de Âncora Lage, os alunos da EBS do Vale do Âncora, acompanhados por educadoras, professores e auxiliares, e muitos encarregados de educação propiciaram um ambiente festivo e muito favorável à leitura e à valorização do livro. A grande parte dos participantes entusiasmou-se com a atualidade e a diversidade das obras apresentadas.







sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Dia Internacional da Tolerância

No dia 16 de novembro, iniciaram-se, na nossa escola, as atividades de comemoração do Dia Internacional da Tolerância. Participaram mais de uma centena de alunos de diversos ciclos de ensino.
Os alunos mais novos exploraram, com o apoio das suas professoras e da equipa da Biblioteca Escolar, obras da mostra documental patente nos espaços da BE. Os alunos do 2.º ciclo analisaram textos poéticos alusivos à efeméride. Produziram trabalhos diversos (ilustrações, recortes e pequenos textos) que foram expostos na BE.
Realizaram igualmente, na BE e na sala de aula, atividades de leitura orientada e autónoma e debates animados e participativos, a partir dos valores Tolerância, Respeito e Partilha. Com exemplos bem concretos do seu quotidiano escolar onde foram evidenciadas algumas formas de discriminação do outro, os alunos compreenderam a necessidade de combater a discriminação e de interiorizar algumas atitudes de solidariedade para com o outro.

Por fim, explicitaram alguns direitos e deveres, independentemente das diferenças, e realçaram a importância desses valores, fundamentais para uma convivência onde a diversidade e a identidade de cada um tem de ser aceite e estimada.



Poema de António Gedeão

Lágrima de preta



Os alunos do 2.º ciclo abordaram o texto poético e refletiram sobre a mensagem que António Gedeão (professor, cientista e poeta) nos deixou em Lágrima de preta.  Os alunos do 6.º C partilharam as suas reflexões através dos seus comentários.

O poema de António Gedeão denuncia a discriminação entre pessoas. O sujeito poético, um cientista, fez todos os testes possíveis ("Ensaiei a frio, experimentei ao lume...") e provou e afirmou cientificamente que a lágrima dessa mulher  era só água e cloreto de sódio, ou seja , era igual às lágrimas das outras pessoas. Por isso, todos os seres humanos são também iguais. Devemos ser tolerantes e aceitar as nossas diferenças.
Renato P. 

É um texto muito original por ser um poema que, no fundo, nos quer alertar que somos todos iguais. Achei interessante que o poeta, depois de usar os ácidos e as drogas, explica que àquela lágrima era igual às outras. No fundo, queria avisar-nos que somos todos iguais e que devemos ser tolerantes uns com os outros.  
Hugo M. 
Este poema é muito interessante porque fala do racismo. O sujeito poético recolhe uma lágrima para analisar com sais e outros ingredientes. Usando isso, ele chega à conclusão que a lágrima de uma pessoa branca é igual a de pessoa preta.
Raúl L.


António Gedeão denuncia a intolerância e o racismo. O sujeito poético, um cientista, conta que num laboratório fez uma experiência com uma lágrima de uma mulher negra. Misturou- a com drogas, sais e ácidos para ver se a lágrima é diferente das de pessoas de cor branca.
Comprovou cientificamente  que a gota era só água e sal como todas, de todos os humanos. O poeta quer provar que o racismo e xenofobia tinham de ser combatidas.
Rui G.


No poema, António Gedeão denuncia o racismo quanto à cor da pele.O cientista faz algumas experiências que comprovam a igualdade entre pessoas. O cientista analisou uma lágrima  de uma senhora de raça negra. Observou, usou tudo o que tinha e chegou a uma conclusão: a lágrima era apenas composta por água e sal, como todas as lágrimas.
Leonor Q.

O sujeito poético do poema Lágrima de preta quer exprimir a igualdade e a solidariedade que tem de haver entre todos nós.

O sujeito poético, o cientista, compara uma lágrima para ver se há diferenças entre uma lágrima de uma mulher de raça branca e de uma mulher raça negra. O cientista experimenta de todas maneiras possíveis.
Chega à conclusão que uma lágrima é composta por água e sal e que é comum a todas as pessoas.
Devemos ser tolerantes dependendo da raça, da cor da pele. Todos temos direitos e devemos respeitar as pessoas da forma como são.
Andreia A.

O poema que lemos tem o objetivo de parar o racismo que, infelizmente, ainda existe. O cientista pediu uma lágrima a uma mulher negra que estava a chorar. Observou-a de todas as maneiras possíveis e imagináveis, vendo que era transparente.
Chegou à conclusão que as lágrimas são todas iguais, sejam de pessoas pretas ou brancas, judeus ou cristãos, africanos ou europeus. Só existe uma raça: a raça humana.
Francisco F.


Novidades



sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Día de la Hispanidad, 12 de outubro

Os alunos da disciplina de Espanhol da turma 10.º A divulgaram e comemoraram o Día da Hispanidad, Dia da Festa Nacional de Espanha.
O dia 12 de outubro marca uma comemoração que abrange todos os países hispânicos: o Día da Hispanidad.
Este dia festivo está ligado à data da chegada de Cristóvão Colombo ao continente Americano. Nesta comemoração, os povos latino-americanos e espanhóis celebram a cultura hispânica, uma das culturas mais influentes do mundo.




Dia mundial da Luta contra a Pena de Morte,10 de outubro

No âmbito do Referencial de Educação para a Segurança, a Defesa e a Paz, os alunos do 4.º ano participaram numa sessão de reflexão, sensibilização e debate, orientada pelo professor de História Luís Braga, docente da nossa escola com fortes laços a Amnistia Internacional. Para os alunos mais novos compreenderem e interiorizarem conceitos e princípios fundamentais ligados à Educação para a Cidadania e, em particular, à luta contra a pena de morte, como os preconceitos e as formas de discriminação do outro e o reconhecimento que todos têm direitos e deveres independentemente das diferenças, o professor Luís Braga explorou uma lenda bem conhecida, O Galo de Barcelos. Esta história de um peregrino galego de passagem por Barcelos, acusado de um crime que não cometeu e condenado à pena de morte, põe em evidência esta forma cruel e desumana de punição. Os alunos, com esta sessão, ficaram também a conhecer que esta luta tornou-se um dos principais marcos históricos de construção dos Direitos Humanos.


Implantação da República Portuguesa, 5 de outubro de 1910

No âmbito do Referencial de Educação para a Segurança, a Defesa e a Paz, os alunos do 1.º ciclo realizaram várias atividades para conhecer e compreender acontecimentos relevantes da História de Portugal, como o dia 5 de outubro. A BE disponibilizou diversas obras sobre esta data importante, expostas junto da bandeira nacional. Os alunos foram desafiados a elaborar uma bandeira com materiais reciclados. No dia comemorativo, muitos (apoiados pelos seus encarregados de educação e avós) expuseram os seus trabalhos, o que despertou muito interesse junto dos alunos mais velhos e de toda a comunidade escolar.






sexta-feira, 22 de setembro de 2017

De volta à BE!


Os alunos estão de volta à nossa BE para um novo ano letivo!




terça-feira, 20 de junho de 2017

Na BE ...

 À descoberta da BE...

 Os "finalistas" do JI de VPÂ visitaram as instalações e descobriram com muito interesse as várias áreas e a coleção da nossa BE.




Era uma vez na BE...
Tal como já tinha sucedido no segundo período, os Amigos da BE, orientados e muito apoiados pelo professor Fernando Borlido, prepararam a dramatização do conto de Charles Perrault O Gato das Botas, a partir do teatro de sombras.
Ajudaram o professor Borlido a recortar algumas personagens e a preparar o cenário. Aprenderam a manipular, entre a luz e a tela, as várias personagens fixadas em varas. Treinaram com muito empenho a apresentação do conto, conciliando a leitura dramática e a manipulação das personagens e do cenário.
Depois de bastante esforço e numerosos ensaios, fizeram sete representações de O Gato das Botas aos colegas do 3.º, 4.º,  5.º e 6.º anos que se entusiasmaram com o trabalho apresentado.






Concurso "Ortografia é comigo!"



Foram oferecidos, pelas respetivos professores de Português, obras para recompensar os alunos do 5.º e 6.º anos da EBS do Vale do Âncora, vencedores do concurso realizado ao longo do ano letivo. 
Este ano, o concurso contou com novos participantes, os alunos do 2.º ciclo da escola-sede  do Agrupamento que foram também premiados (ler em: http://bibcouraminho.webnode.pt/products/concursos-de-ortografia-e-de-escrita-criativa-entrega-de-premios/).

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Concurso "Ortografia é comigo!"

Resultados da prova de maio:


sexta-feira, 2 de junho de 2017

Projeto "80 anos da Guerra Civil de Espanha": exposição

Exposição Guernica divulgada na Imprensa local:

Caminha 2000:

http://www.caminha2000.com/jornal/n833/cv1.html

Terra e Mar

2.ª quinzena de Junho

Exposição Guernica

 No dia 31 de maio, foi inaugurada a exposição dos trabalhos dos alunos do 9º ano da EBS do Vale do Âncora, realizados sob a orientação do professor de Educação Visual, Francisco Vitoriano, que recriam com elementos plásticos contemporâneos a famosa obra do pintor Picasso.
Foram entregues livros de arte, como prémios bem merecidos, aos três alunos (F. Marques, L. Costa e R. Pereira) cujos trabalhos foram selecionados para serem pintados no tríptico "Guernica 2017", na presença da professora Conceição Rodrigues, subdiretora do agrupamento, de docentes envolvidos no projeto e de muitos dos seus colegas do 9.º ano.

quarta-feira, 31 de maio de 2017

I Festa do Livro


Festa do Livro: Dia 1

Os alunos do 1.º, 2.º 3.º, 4.º 5.º e 6.º anos da EBS do Vale do Âncora participaram na  I Festa do Livro de Caminha, uma organização conjunta da Rede de Bibliotecas de Caminha e do Agrupamento de Escolas em parceria com a Livraria Bertrand de Viana do Castelo e o Banco de Livros, do alfarrabista ancorense Rafael Capela. 
No primeiro dia, os mais novos assistiram à apresentação teatralizada do "Rei Lambão", de José Vaz, pela companhia Krisálida. No segundo dia, os alunos do 2.º ciclo descobriram "O Mundo e a Poesia", por um grupo de alunas do 7ºD da EBS do Vale do Âncora, orientadas pelo professor Fernando Borlido. Foi  um espetáculo de máscaras e movimentos, animado por palavras inspiradoras e sentidas que  impressionaram os jovens espetadores. Este momento de poesia contou com a presença do presidente da Câmara Municipal, Miguel Alves.


 

 

Visita de estudo divulgada!




Para ler a notícia, acede à página do jornal:
http://www.caminha2000.com/jornal/n831/cmcj.html









http://1.bp.blogspot.com/-nCydUsEuTxg/Vo51f53gs8I/AAAAAAAABOE/CemauDkyKro/s1600/Jornal%2BTerra%2BMar.jpg






segunda-feira, 22 de maio de 2017

À descoberta do Património do Porto: testemunhos

"Gostei muito da visita de estudo ao Porto. No Museu Nacional da Imprensa, vi  vários cartoons e prelos antigos e utilizamos alguns manualmente. Gostei também da Sé Catedral do Porto e das explicações do professor de História. Explicou-nos que à volta da Sé havia muitas casas, mas destruíram-nas para se ver melhor o monumento. Foi um bom dia e uma boa aprendizagem. Eu nem conhecia o Porto!"
R. Pinto, 6.º D

" Adorei a visita de estudo. Acho que foi pouquíssimo tempo. No museu, gostei muito de imprimir trabalhos nas impressora antigas. Na centro do Porto, gostei dos prédios antigos muito altos e das pontes. Queria que fôssemos mais vezes  ao Porto e conhecer outras cidades." 
C. Silva, 6.º B

"A parte mais engraçada da visita do museu foi a exposição dos cartoons e, sobretudo, sobre o Charlie Chaplin. Quando vimos as pontes do Porto, gostei das explicações que o professor de História deu sobre a ponte Eiffel (ponte D. Maria Pia) e a ponte S. João. Gostei muito da visita e aprendi muitas coisas."
S. Lin, 6.º B

"No museu, adorei as impressões que fizemos nas máquinas minervas com os prelos e também os cartoons. Na parte histórica do Porto, gostei de ver os azulejos da estação S. Bento, a Torre dos Clérigos, o largo da Sé, a ribeira com os barcos a passar. Valeu a pena de ir ao Porto! Gostei muito desta visita de estudo e gostaria que se voltasse a repetir!"
M. Pereira, 6,º D

" No dia 18 de maio, fizemos uma visita de estudo ao Porto. Visitamos o Museu Nacional da Imprensa. Descobrimos prelos antigos (com 300  e 600 anos) para a impressão manual. Havia também uma exposição de cartoons e um deles chamou-me atenção, aquele onde estava representado o Velho e a Morte. Durante a tarde, vimos a antiga Prisão da Relação, a Torre dos Clérigos e a Sé do Porto. Velau a pena porque conheci melhor a cidade do Porto."
C. Oliveira, 6.º D

"Gostei muito da visita  de estudo ao Porto e acho que devíamos repetir mais vezes. Adorei ver trabalhar as impressora e de ver os monumentos e de comer um gelado!"
A. Vasconcelos, 6.º B
"Gostei muito de visitar o museu e a cidade do Porto, a minha favorita!"
N. Cruz, 6.º B

"Na visita de estudo, o que eu mais gostei foi das impressões e dos prelos antigos e de alguns quadros engraçados (cartoons) que transmitiam mensagens. Na cidade, o que mais apreciei foi das pontes, dos prédios antigos e altos e da Torre dos Clérigos. Gostei muito, devia-se repetir mais vezes."
E. Fernandes, 6.º B

"O momento que mais gostei, foi quando descobrimos o Porto. Mas primeiro, fomos ao Museu Nacional da Imprensa onde fizemos impressões que nos servem de recordações. Dpois de tarde, fomos ver muitos monumentos e a Sé Catedral com uma vista espetacular. Quero lá voltar em breve e mais do que uma vez!"
R. Cardoso, 6. D
"Adorei a visita de estudo à cidade do Porto, pois nunca tinha visitado o Museu Nacional da Imprensa e o centro histórico!Gostava de ter visitado o interior da Prisão da Relação (agora Museu da Fotografia) eda Torre dos Clérigos, mas tirando isso, achei a visita muito interessante. Guardei as folhas, ou melhor as impressões que fizemos com os prelos de 300 anos. No fim do almoço, adorei aquela caminhada até à Sé Catedral do Porto... que bela vista! Na exposição de cartoons do museu, o cartoon que mais me chamou a atenção, foi aquele que representava uma fila num aeroporto bloqueada e que impediam os emigrantes de ir para a Europa!"
E. Lima, 6.º D




À descoberta do Património do Porto


Os alunos de sexto ano, acompanhados pelos seus professores, deslocaram-se à cidade do Porto, na passada quinta-feira 18 de maio de 2017, para conhecer o Museu Nacional da Imprensa e o Património Urbano do Porto, cumprindo assim objetivos programáticos das disciplinas de Português, Educação Tecnológica e História e Geografia de Portugal.
No Museu Nacional da Imprensa, os alunos observaram com muito interesse e entusiasmo dezenas de máquinas em funcionamento e peças distribuídas por vários setores, desde da pré-impressão, impressão aos acabamentos, e assim perceberam a evolução da imprensa desde Gutenberg até à atualidade.
Ficaram a conhecer as etapas do trabalho do tipógrafo e a composição manual, base da tipografia e das artes gráficas, com a exposição das diversas colecções de tipos em chumbo e madeira. No setor da impressão, os alunos observaram peças emblemáticas. Uma das mais importantes é um prelo de madeira do séc. XVIII, recuperado e restaurado pelo museu, que se destaca pela sua raridade e imponência. Para concluir esta parte da visita, os alunos tiveram aqui a oportunidade de imprimir manualmente textos e gravuras alusivas às atividades do museu.
Ao sair do museu, os alunos apreciaram os desenhos humorísticos e satíricos da exposição PORTOCARTOON |DIREITOS HUMANOS, LIBERDADE COM HUMOR, SEMPRE! que apresenta os premiados das edições do PortoCartoon-World Festival. Constituída por dezenas de obras, esta mostra de desenhos humorísticos e satíricos abriu com um texto trilingue, em português, inglês e castelhano.
A parte de tarde foi dedicada à visita do Património Urbano do Porto/Património Cultural da Humanidade. Os alunos descobriram (e muitos, pela primeira vez!) o centro histórico e a zona ribeirinha da cidade. Com o apoio do professor de História que forneceu, ao longo do percurso, preciosas informações para compreender as origens e transformações do núcleo histórico. Os alunos demonstraram grande interesse pelos monumentos e um forte entusiasmo pela descoberta da cidade invicta. Os muitos pedidos em prolongar a visita do Porto e em realizar roteiros similares abundaram e comprovaram a satisfação dos alunos!
Para saber mais sobre o museu, consulte: