sexta-feira, 17 de março de 2017

Em cada verso a passear, a passear...

Versos "à maneira de Luísa Ducla Soares", produzidos pelos alunos do 5.ºB e do 5.º C

                                P de Portugal

Das palavras
das pontes
da paixão
do pássaro perdido
da pista de carros
do som do pensamento
do presente da Patrícia
do prazer de ajudar
da pulsação do coração...
do poder pessoal
do perdão
do pecado
da paz em Portugal!

                            Matilde F.



                             A de Âncora

Âncora do mar,
Com alegria vem viajar...
Vem adotar Âncora
Acreditar, amar.
Âncora do mar
Álbum do nosso lar.

                              Margarida S.

                             P de Portugal


Portugal,
país com paisagens perfeitas,
personagens prodigiosas ...
património universal.

Portugal
de pensadores,
pescadores e palácios,
paladares e perfumes,
paradas e paródias...
de povo pacífico e
pândego...
 

Mas Portugal não é
para palhaços,
palermas e patetas,
que causam pandemónio.


Portugal é a minha pátria!
Parabéns Portugal!

                                Hugo M.


                                A de Âncora
Âncora presa na areia...
onde há sempre o que achar...
no meio do nada, haverá amigos para te acolher.
Âncora
sem tirar nem pôr.
                                       Joana F.

                               A de Âncora!

Âncora,
de água brilhante...
abrigada pelas dunas de areia amarelada.
de céu azul com amanhecer colorido.
Âncora,
Abençoada Âncora!
                                    Ricardo L.

                              A de Âncora
Âncora,
da alegria…
do amor dos adolescentes,
que abrem asas e voam,
Agora Âncora… do mundo a sonhar...
         
                              Nuna B.


                           C de Caminha
Caminha
das cores,
dos concertos...

Caminha
competente,
do céu azul,
dos conhecimentos...
do clima ameno.

Caminha cativante.
Caminha.
                             Maya F.

                                               S de Soutelo
Soutelo,
com os seus senhores seniores,
cheios de saudades da juventude,
mas ainda sábios,
e com todos os sentidos sensatos.

                                           Francisco L.



                                            V de Vilarinho
Vilarinho
onde as pessoas têm a cabeça a voar...
De vista tão bela,
do verde  das árvores.
Vilarinho,
vila tão viva.

                                         Ivan F.

Nenhum comentário:

Postar um comentário