sexta-feira, 29 de março de 2019

Dia Internacional da Vida Selvagem

O Dia Mundial da Vida Selvagem foi criado em 2013 na 68ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas para celebrar os animais e plantas selvagens do mundo.O objetivo deste dia é celebrar a fauna e a flora do planeta, assim como alertar para os perigos do tráfico de espécies selvagens animais. Foi escolhido o dia 3 de Março para esta efeméride já que foi neste dia, em 1973, que se verificou a CITES - Convenção sobre o Comércio Internacional das Espécies de Fauna e Flora Selvagens Ameaçadas de Extinção.

As turmas do 8.º ano da nossa escola foram convidadas a celebrar este dia a partir do visionamento do reconhecido filme documentário A Caçadora e a Águia. Esta proposta enquadra-se no âmbito do Plano Nacional de Cinema.
A BE, em articulação com a disciplina de Ciências Naturais, recebeu alunos da turma do 8.º B que se mostraram muito interessado em descobrir uma realidade extremamente diferente da sua.

Ficha técnica do filme:
                                  título original: The Eagle Huntress
                                  realizado por Otto Bell
                                 com Aisholpan Nurgaiv, Daisy Ridley, Rys Nurgaiv
                                 género: documentário
                                 classificação: M/12
                                 outros dados: GB/EUA/Mongólia, 2016, Cores, 87 min.
" Há já mais de dois milénios que alguns povos nómadas de certas regiões da Mongólia se habituaram a caçar com águias-reais. Manda a tradição que essa actividade seja realizada por homens. Mas Aisholpan, uma jovem de 13 anos, quer quebrar essa regra ancestral e tornar-se a primeira mulher a fazê-lo, tal como antes o fizeram os homens da sua família. Para isso, além de ter de lutar contra preconceitos profundamente enraizados, tem de dedicar todo o seu tempo e esforço a aprender as técnicas necessárias. Uma delas, talvez a principal, é encontrar e domesticar o seu próprio animal…
Com diálogos em língua cazaque e narração em inglês por Daisy Ridley, um documentário sobre as mudanças lentas mas inevitáveis de algumas tradições mongóis, que marca a estreia na realização de Otto Bell."  https://cinecartaz.publico.pt/

Nenhum comentário:

Postar um comentário